quarta-feira, 4 de junho de 2014

O que vi dentro de mim.

























No mesmo erro sigo. No mesmo erro erro.
No mesmo momento confio. Num simples gesto me entrego.

- Felicidade?: Procuro. - Amor?: Indago.
Tão longe estão que pra me ouvirem grito bem alto.

Será que algum dia vou achá-los? Ou pior, será que eles sequer existem?
- Me respondam por favor! - Me ouçam, me ajudem, se mostrem!
Quanto mais desesperada fico, mais abafados soam meus apelos.
A presença da solidão é avassaladora e me domina por inteiro.

Me recolho timidamente sem vontade de seguir,
mas é nesse fim que me encontro,
e me sinto mais forte do que nunca me senti.

Sorrindo então me respondo:
- Estamos aqui.

3 comentários:

Leonardo Pereira disse...

Perfeito !! Acho que esse é um sentimento compartilhado por muitas pessoas. Que demoram a perceber que o amor e a felicidade moram dentro da gente !

Heizer disse...

escreve escreve escreve.....
a necessidade se transforma em arte...

Gastando os pensamentos disse...

que bonito seus textos amiga...tem uma sutileza...
esse texto aqui é de uma coragem e sinceridade de se admirar!
me lembrou muito Nietzche:
"Torna-te aquilo que tu és".